h1

O DESEJO DE TRANSGREDIR NA PERSONALIDADE DO OBESO COMPULSIVO

dezembro 15, 2014

O DESEJO DE TRANSGREDIR NA PERSONALIDADE DO OBESO COMPULSIVO

Tenho observado, ao longo de 24 anos de carreira profissional, que uma significativa parcela de pacientes portadores do Transtorno do Comer Compulsivo apresentam determinadas caracteristicas comuns já elencadas em meu artigo Os Aspectos Psicologicos da Obesidade publicado há 15 anos e ainda recente por sua veracidade, o qual encontra-se neste blog abaixo.
Contudo, após 15 anos de seguimento destes pacientes, uma característica marcante não foi publicada por mim naquela época:
– O desejo de transgressão do paciente obeso compulsivo.
Não todos, mas alguns pacientes compulsivos, demonstram caracteristicas comuns no consultório que não se repete nas demais especialidades. Observo um esforço muito grande do paciente de obter o medicamento sem consulta médica, utilizar o remédio do amigo, da amiga, fazer testes sem preocupação com a saúde. Tentativa de sair da consulta sem pagar a secretária, pedir desconto e vantagens caso traga mais pacientes ao consultório, ligar para as farmácias dizendo que já podem aviar nova receita que o Dr já autorizou e que , portanto, já está indo pegar a medicação (claro que não é verdade).
Esses exemplos são os que eu observo no consultório, os demais são relatados pelos próprios pacientes, como esconder a medicação do marido ou esposa, dizer que vai cumprir a dieta comendo certinho e, na verdade, executar uma dieta mais rigorosa para obter resultados mais rápidos correndo riscos à saúde, entre outros.
Claro que fatos como estes ocorrem em qualquer grupo de pessoas, mas, o que chama a atenção, é que, no caso do obeso, essa transgressão parece ser nociva ao seu tratamento.
Explico melhor: Sendo a obesidade fruto de um transtorno ansioso compulsivo essa doença necessita que o paciente contrarie seus desejos (que os leva a engordar) e pratique suas necessidades ( que emagreçam). Exemplo claro é parar de comer pão à tarde e à noite (desejo) e passar a comer pão no café da manhã acompanhado de um almoço rico em carboidrato (arroz-feijão-massa- pizza-etc) enquanto que a tarde e a noite o individuo corta a farinha e o doce e passa a comer somente frutas (necessidade).
A transgressão entra neste quadro como fonte de prazer. Dá prazer trangredir, fugir a regra, burlar o sistema… Isso libera endorfinas e o obeso adora endorfinas…
Ocorre que uma vida tranquila e saudavel, sem transgressões, muitas vezes, não atrai o obeso (parece não ter graça). É preciso adrenalina, “eu gosto do barulho!”. Por isso as anfetaminas caíam tão bem a esses pacientes transgressores, pois ela dava “pique”. Além de emagrecer ela dava pique ao trabalho, ao dia a dia, ao cotidiano. Fugia da mesmice.
Transgredir não vale a pena, porque você não prospera no seu plano por muito tempo… E aí vem o arrependimento, quando não vem complicações com a lei ou a sociedade…
O grande desafio ao obeso é achar alegria nas coisas simples do dia a dia. Ser feliz na sua familia, no seu trabalho, na sua vida. Não inventar moda. Saber que se sair da linha o trem da obesidade pega. Os outros (os magros) até podem ser malandros, mas você obeso, não pode ser malandro, você tem que ser certinho, mauricinho, bonitinho, joãozinho do passo certo. Porque a diferença entre você e o magro é que se o plano de transgressão de vocês dois não der certo o magro continuará magro, mas o obeso resolverá como o seu problema de culpa e arrependimento por ter sido “pego”? Comendo e engordando.
Portanto aceite isso na sua vida: Obesidade é doença e não tem cura, mas tem controle e este controle depende de você ser regrado, organizado e certinho. Não pode ser malandro. E lembre-se que seu tratamento não é uma corrida de 100 metros rasos em que você explode e gasta toda sua energia já no começo e depois se cansa. Seu tratamento é uma maratona sem fim, portanto vá devagar mas sempre no ritmo certo. Economize suas forças e seja um membro produtivo da sociedade porque você não nasceu para ser malandro.
Por último, não esqueça: consultório médico é local de tratar sua saúde, não é quitanda da esquina em que você regateia preços pedindo descontos. Você vai no médico se quiser, mas jamais peça desconto. Já pensou se o médico descontar conhecimentos no seu tratamento?

DR HENRI BISCHOFF CREMERS 18 265 /CREMESC 6284

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: